sexta-feira, 27 de abril de 2012

Nova Baliza MG


Novo serviço para auxiliar motoristas no trânsito chega ao Brasil


Um novo serviço de navegação com informação online sobre o trânsito chegou ao Brasil. Batizado de Vivo Co-Piloto Trânsito, o aplicativo permite o usuário traçar rotas levando em conta as informações do estado do tráfego em um determinado momento, procurando vias alternativas para fazer um caminho no menor tempo.
Criado pela Vivo e NDrive a partir da tecnologia on board, que permite o usuário fazer o download de um mapa por completo pelo celular, o aplicativo foi criado para facilitar a vida das pessoas. "Nosso objetivo é oferecer aos clientes serviços que realmente agregam valor à vida das pessoas. Com ele não é preciso comprar um aparelho exclusivo para navegação", afirmou Alexandre Fernandes, Diretor de Produtos e Serviços da Vivo.
O aplicativo foi desenvolvido para os sistemas operacionais móveis Android, do Google, e iOS, para os dispositivos da Apple. Inicialmente, o serviço estará disponível para as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Campinas e Santos. Para Android, o preço é de R$ 9,90, com os sete primeiros dias gratuitos. Para iOS, o valor é de R$ 4,99.

                                        Descrição

O aplicativo Vivo Co-Piloto Trânsito transforma o seu iPhone em um navegador veicular de última geração. Além da navegação curva-a-curva com orientação de voz, você ainda usufrui do serviço informativo de trânsito em tempo real, disponível para Fortaleza, Recife, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Grande São Paulo, Campinas, Curitiba e Porto Alegre. O Vivo Co-Piloto Trânsito calcula alternativas de rota, para você evitar, em tempo real, situações de lentidão causadas por excesso de veículos ou até mesmo acidentes.

DESCRIÇÃO DO APLICATIVO E ASSINATURA:

• O VIVO Co-Piloto Trânsito a 4.99 USD inclui 30 dias de navegação curva-a-curva + serviço informativo de trânsito em tempo real
• No final dos 30 dias, você pode continuar a usar a navegação e o serviço de trânsito através da assinatura do serviço com recorrência por um período de 1 mês no valor de 4.99 USD. Para o fazer vá a Menu - Loja - Mapas e escolha "Assinatura mensal VIVO Co-Piloto Trânsito Navegação & Trânsito Brasil"
• Esta assinatura de 30 dias é recorrente e com renovação automática
• A renovação automática da assinatura pode ser cancelada até pelo menos 24h antes da expiração da assinatura corrente
• O valor mensal da renovação será cobrado 24h antes do serviço ser expirado
• As assinaturas poderão ser gerenciadas e canceladas na sua conta iTunes
• Durante o período ativo da assinatura corrente o cancelamento desta não é permitido
• Qualquer período não usado dos primeiros 30 dias oferecidos na primeira compra serão perdidos após efetuar a primeira assinatura do serviço

RECURSOS:

• Algoritmos de cálculos de percurso de rota mais precisos e eficientes;
• Interface de uso e design de menu intuitivos;
• Cálculo de rotas alternativas baseado em informação de trânsito em tempo real;
• Todos os recursos necessários em um dispositivo de navegação pessoal;
• Suporte Android, alternância rápida de aplicativos e teclado nativo;
• Baseado no software NDrive Navigation Systems.

Outros aspectos dinâmicos que tornam a aplicação de navegação Vivo Co-Piloto Trânsito mais simples e eficaz:

• Renderização de Edifícios em 3D;
• Assistência em viagem;
• Modo Aventura;
• Compartilhamento no Facebook e Foursquare de rotas e posição atual;
• Pesquisa no Foursquare de Venues e check-ins automáticos;
• Pesquisa avançada de Pontos de Interesse com a função Google Local Search;
• Previsão do tempo atualizada para centenas de cidades brasileiras.

Os mapas mais recentes do Brasil pela Digibase.

USO RACIONAL DO AUTOMÓVEL


É sempre bom que se faça uma reflexão se vamos conseguir deixar para nossos netos um planeta habitável. Será que realmente faz diferença se nós caminhássemos mais, se pedalássemos mais, se andássemos mais de ônibus, se dirigíssemos menos automóveis? Será que nossos hábitos de deslocamento e consumo realmente afetam o planeta?
Até bem recentemente as preocupações com a questão ambiental se ocupavam com campanhas para salvar um animalzinho da extinção ou preservar uma bela paisagem. A natureza parecia tão forte que era difícil imaginar que nosso estilo de vida pudesse afetar a vida do planeta de forma tão significativa.
No entanto, o cenário mudou
Em 1950 havia somente 86 cidades com mais de 1 milhão de habitantes; atualmente são mais de 400 cidades que contam com mais de 1 milhão de habitantes. Naquele ano, Nova York era uma megacidade solitária no planeta; hoje são 25 cidades e dois terços delas se concentram nos países em desenvolvimento. Foram necessários 100 mil anos para que a população urbana superasse a do campo. Mas em 2025 o percentual da população urbana já será de 61% da população mundial, segundo projeções da ONU (Organização das Nações Unidas).
Infelizmente este crescimento quantitativo das cidades não resultou em um melhoramento qualitativo. Poluição, congestionamento, barulho, falta de água e higiene, bem como a criminalidade, são fatores que concorrem para o estresse dos seus habitantes.
Ar puro, vida urbana de elevada qualidade, idéias sustentáveis para uma cidade saudável, esse é o conceito que todos buscam. No trânsito entre um ponto e outro, governantes, empresários, investidores e especialistas em transportes e meio ambiente, buscam soluções eficazes para os problemas de mobilidade urbana.
Conferência Rio +20
O Rio de Janeiro sediará na semana do meio ambiente, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, vinte anos depois da histórica Conferência do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento de 1992.
Existe ampla expectativa, nacional e internacional, de que a Rio+20 se constitua em oportunidade única para mobilização dos recursos políticos necessários para se desenhar uma saída efetiva para a crise urbana, levando em conta a complexidade de seus aspectos econômicos, sociais e ambientais.
A Rio+20 será uma Conferência sobre desenvolvimento sustentável e não apenas sobre meio ambiente. O desafio da sustentabilidade constitui oportunidade excepcional para a mudança de um modelo de desenvolvimento.
Mobilidade Urbana
É fundamental que o desenvolvimento sustentável também englobe medidas e políticas para fortalecer a sustentabilidade dos sistemas de transportes. Nos transportes urbanos, a sustentabilidade está ligada ao estabelecimento de sistemas eficientes de transporte público que substituam em grande parte o veículo individual. Essas alternativas poderiam diminuir os congestionamentos, reduzir a poluição do ar, os custos dos deslocamentos e os acidentes, tendo impacto direto sobre os gastos públicos com saúde e beneficiando, sobretudo a população de renda mais baixa.
Poluição
A fumaça que sai dos escapamentos é responsável por 40% da poluição nas duas maiores cidades do país. E mais: o transporte, sozinho, já representa 9% das emissões de gases do efeito estufa. Portanto, a indicação do uso de bicombustíveis representa uma alternativa importante para o setor de transportes com o etanol e o biodiesel.
A sociedade deve despertar para esse fato com urgência e se conscientizar da necessidade e importância do uso mais racional do automóvel

Brasil está na contramão da mobilidade urbana


O incentivo à indústria de veículos e a falta de estruturação do transporte público urbano colocam o Brasil na contramão da mobilidade urbana. É o que destacaram vários especialistas no tema que participaram de audiência pública no Senado. 

Maria Rosa Abreu, da UnB (Universidade de Brasília), diz que é preciso implementar, nas grandes cidades, a integração física dos modais de transporte coletivo, interligando ciclovias, aquavias e ônibus locais, com estações de metrô e de trens regionais ou metropolitanos. Ela destacou ainda a importância da integração tarifária, com cartões de uso semanal, mensal ou mesmo anual, adquiridos com descontos.
Otávio Vieira, presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, informou que, em 1977, sete em cada dez brasileiros se deslocavam por meio de transporte público. Em 2009, disse, já metade da população se deslocava por transporte individual.
“Acredito que hoje seja mais de 60% e não sabemos a quanto isso chegará em 2020. Creio que até lá as cidades estarão efetivamente paradas, se alguma coisa não for feita para melhorar essa questão”, alertou.
Nazareno Stanislau Affonso, coordenador do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade, também destacou a falta de prioridade para o transporte público e os incentivos à aquisição de veículos como as principais causas dos congestionamentos nos municípios brasileiros.
“O investimento para viabilizar uso do automóvel foi gigantesco, mas o uso do automóvel é um modelo falido. Os que têm carro vão ver que, se levavam 20 minutos [para chegar ao trabalho], vão levar 40 ou 50 minutos”, disse Affonso.
Lei de Mobilidade UrbanaEm sua apresentação, Nazareno Affonso destacou a Lei da Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012), sancionada pela presidente Dilma Rousseff em janeiro e que entrou em vigor agora em abril. A lei institui diretrizes da PNMU (Política Nacional de Mobilidade Urbana), prevendo “prioridade dos modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado”.
Determina ainda “a integração entre os modos e serviços de transporte urbano e a mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos dos deslocamentos de pessoas e cargas na cidade”. Com a nova política, as prefeituras deverão definir regras do transporte urbano local e o governo federal poderá aportar recursos para iniciativas que atendam as diretrizes da Lei de Mobilidade.
Agência Senado

CURIOSIDADES:Cidade retira toda sinalização e diminui acidentes



Engenheiro holandês prega cidades sem placas

Um viajante desavisado que chega às cidades holandesas de Makkinga e Drachten pode se sentir perdido nos primeiros minutos: elas não têm placas de sinalização de limite de velocidade, lombadas, radares e nem mesmo semáforos. Apenas a direção das ruas aparece em pequenos sinais. 

E, por incrível que pareça, todo mundo parece se entender: carros, bicicletas (muito populares na Holanda) e pedestres circulam em harmonia e em baixa velocidade. Por trás dessa ideia maluca está o engenheiro de tráfego Hans Monderman, holandês que faleceu em 2008 aos 62 anos e que pregava que a sinalização, ao invés de educar, só piora as condições de segurança.

Em Drachten, o número de acidentes no centro caiu de oito por ano para zero a partir de 2003, quando o sistema foi implantado. Segundo Monderman, por trás disso está o princípio de que, quando o motorista sente que não está amparado por regras rígidas, ele presta mais atenção no que interessa – os outros carros, os pedestres e as ruas – e menos naquilo que é desnecessário – ou seja, o excesso de sinais dizendo como ele deve agir. "Quando você trata as pessoas como idiotas, elas agem como idiotas", dizia o engenheiro.

De acordo com as ideias do holandês, apenas tirar a sinalização não basta. Medidas como diminuir a largura das pistas, fazendo com que o motorista se sinta dentro de um vilarejo e não em uma autoestrada, são fundamentais. “Existe o mundo das rodovias, todo padronizado e cheio de regras, e o mundo social, onde as pessoas convivem. 

As cidades não devem ser rodovias, devem ser um mundo social”, pregava. A experiência holandesa também foi adotada na cidade de Bohmte, na Alemanha, e em Norrkoping, na Suécia. Em Londres, uma importante rua da região central, a Kensington High Street, adotou princípios parecidos e viu sua cota de acidentes diminuir drasticamente.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Comissão aprova incentivo ao uso de bicicletas como meio de transporte

A Comissão de Desenvolvimento Urbano aprovou nesta quarta-feira (25) o Projeto de Lei 1346/11, do deputado Lucio Vieira Lima (PMDB–BA), que cria o Estatuto dos Sistemas Cicloviários, com o objetivo de incentivar o uso de bicicletas no transporte urbano. O projeto obriga a União, os estados e os municípios a criar sistemas cicloviários nacional, estaduais e municipais.
O relator, deputado Valadares Filho (PSB-SE), afirmou que qualquer medida que se proponha a contribuir para melhoria dos meios de mobilidade, especialmente nos grandes centros urbanos, merece toda atenção, tendo em vista os graves problemas que a população brasileira vem enfrentando nas grandes cidades. “O atual modelo, fundado basicamente no transporte de veículos particulares de passeio e ônibus coletivos, tem se revelado inadequado, deixando a população sem alternativas para a mobilidade urbana”, assinalou.
Valadares destacou ainda que o transporte feito por meio de bicicletas é uma alternativa não poluente e que traz benefícios para a saúde. “Além disso, é também uma alternativa mais barata e com implementação mais rápida, que contribuirá para a melhoria do transporte, especialmente nos grandes centros 
urbanos”, disse. Os sistemas propostos pelo projeto devem ser formados por uma rede viária para o transporte por bicicletas, constituídas por ciclovias (pista própria para a circulação de bicicletas, separada fisicamente do tráfego geral); ciclofaixas (faixa exclusiva para a circulação de bicicletas em vias de circulação de veículos, utilizando parte da pista); e faixas compartilhadas para circulação de bicicletas com o trânsito de carros.
Além disso, os sistemas cicloviários deverão conter locais específicos para estacionamento, chamados de bicicletários (locais para estacionamento de longa duração, públicos ou privados) e paraciclos (locais para estacionamento de curta e média duração em espaço público).

Tramitação

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, já foi aprovada pela Comissão de Viação e Transportes, em dezembro do ano passado. Agora será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Siga as regras e garanta a sua pedalada

Diariamente ouvimos falar sobre os benefícios de andar de bicicleta. Pedalar faz bem para o corpo e para a mente, não polui nem faz barulho. Além disso, ajuda no emagrecimento, desenvolve a capacidade pulmonar (melhora a respiração e o fôlego) e combate o estresse.
A bicicleta também é um veículo rápido, econômico e muito eficiente, principalmente na mobilidadeurbana em cidades caóticas, como as grandes metrópoles brasileiras. Porém, é preciso estar atento a alguns detalhes para que sua atividade esportiva ou seu deslocamento urbano não terminem em tragédia.
Para pedalar na cidade é preciso seguir as regras de trânsito CTB (Código de Trânsito Brasileiro), respeitar o próximo (pedestres, motoristas, motociclistas, entre outros) e utilizar equipamentos de segurança, como capacete, iluminação da bicicleta, vestuário apropriado etc.
Devidamente equipado, basta pedalar com prudência e atenção redobrada. Para maior segurança, planeje seu caminho antes de sair de casa e dê preferência a ruas menos movimentadas. Sempre indique com os braços seus próximos movimentos (curvas), assim os motoristas não serão surpreendidos. Seja gentil no trânsito, não jogue lixo nas ruas e hidratese sempre com água ou isotônico.

Regras de segurança:

Verifique os pneus (calibragem e estado de desgaste), a fixação das rodas e a regulagem dos freios. Todas essas partes são fundamentais para começar bem o dia.
Após vistoriar sua bicicleta, ajuste a altura do selim para o seu tamanho e utilize os equipamentos de segurança: capacete (obrigatório), luvas e óculos para proteger os olhos contra os insetos e possíveis detritos do asfalto.
FONTES: Cenário MT


Cursos especializados para condutores de veículos

-Transporte Coletivo
Este curso tem como objetivo formar motoristas profissionais de transporte coletivo. Os pré-requisitos para o curso são: ser maior de 21 anos; estar habilitado no mínimo na categoria “D”; não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos 12 (doze) meses e não estar cumprindo pena de suspensão ou cassação do direito de dirigir.
O curso tem duração de 50 h/a, divididas em 4 módulos:Legislação de Trânsito – 10 h/a; Direção Defensiva – 15 h/a; Noções de Primeiros Socorros, Respeito ao Meio Ambiente e de Convívio Social no Trânsito – 10 h/a e Relacionamento Interpessoal – 15 h/a.
-Transporte de Escolares
O curso de transporte de escolares é bastante procurado por ser uma profissão, muitas vezes, autônoma. Para sua formação o condutor de transporte de escolares deve ser maior de 21 anos; estar habilitado no mínimo na categoria “D”; não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos 12 (doze) meses e não estar cumprindo pena de suspensão ou cassação do direito de dirigir.
A carga horária é de 50 h/a, divididas em 4 módulos: Legislação de Trânsito – 10 h/a; Direção Defensiva – 15 h/a; Noções de Primeiros Socorros, Respeito ao Meio Ambiente e de Convívio Social no Trânsito – 10 h/a e Relacionamento Interpessoal – 15 h/a.


-Transporte de Produtos Perigosos
Para os profissionais que trabalham transportando produtos perigosos, como corrosivos, combustíveis, etc., é obrigatório o curso de transporte de produtos perigosos. Os requisitos exigidos são: ser maior de 21 anos; estar habilitado em uma das categorias “B”, ”C”, ”D” ou ”E”; não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos 12 (doze) meses e não estar cumprindo pena de suspensão ou cassação do direito de dirigir.
O curso tem duração de 50 h/a dividido também em 4 módulos, são eles: Legislação de Trânsito – 10 h/a; Direção Defensiva – 15 h/a; Noções de Primeiros Socorros, Respeito ao Meio Ambiente e Prevenção de Incêndio – 10 h/a e Movimentação de Produtos Perigosos – 15 h/a.
As matérias trazem conhecimentos de legislação específica e normas sobre transporte de produtos perigosos, responsabilidade do condutor durante o transporte, registrador gráfico ou similar, etc. Questões como prevenção de incêndio, classificação de produtos perigosos, explosivos e gases, também são abordados.





Condutor de Veículos de Emergência
Todo condutor deste tipo de veículo sabe o stress que a situação de emergência causa, pois deve-se estar constantemente atento ao trânsito e a direção do seu veículo. Os pré-requisitos para o curso são: ser maior de 21 anos; estar habilitado em uma das categorias “A”, ”B”, ”C”, ”D” e “E”; não ter cometido nenhuma infração grave ou gravíssima ou ser reincidente em infrações médias durante os últimos 12 (doze) meses e não estar cumprindo pena de suspensão ou cassação do direito de dirigir.
O curso tem duração de 50 h/a, divididas em 4 módulos: Legislação de Trânsito – 10 h/a; Direção Defensiva – 15 h/a; Noções de Primeiros Socorros, Respeito ao Meio Ambiente e de Convívio Social no Trânsito – 10 h/a e Relacionamento Interpessoal – 15 h/a.

-Atualização dos cursos especializados para condutores de veículos
Os cursos de atualização têm carga horária reduzida e retomam os principais conteúdos já trabalhados nos cursos de especialização. Todos têm carga horária de 16 h/a, divididos nos 4 módulos do curso de formação.
Essa é ótima...




Além de arriscar sua vida, isso causa muitas dores de cabeça. Se você concorda, compartilhe! Para um trânsito com menos dor de cabeça ;) 


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=385147684850874&set=a.359910547374588.87666.308182599214050&type=3&theater

PROJETO DE LEI Nº 2.592/2011 - Carteira Popular

Dispõe sobre medidas para a desoneração fiscal do processo de habilitação para condução de veículos automotores para as pessoas de baixo poder aquisitivo ou em situação de desvantagem social.



A Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais decreta:



Art. 1º - O Estado adotará medidas para desoneração fiscal de taxas devidas no processo de habilitação para condução de veículos automotores, com o objetivo de possibilitar o acesso de pessoas de baixo poder aquisitivo
ou em situação de desvantagem social à aprendizagem e ao processo de habilitação necessários para a condução de veículos automotores.
Art. 2º - Para os efeitos desta lei, consideram-se pessoas de baixo poder aquisitivo ou em situação de desvantagem social aquelas que se enquadrem em uma das seguintes situações:



I - tenham renda familiar mensal bruta igual ou inferior a dois salários mínimos vigentes na época do requerimento;
II - estejam matriculadas na rede pública de ensino e comprovem bom desempenho escolar;II - sejam egressas do sistema prisional.
Art. 3º - Na implementação da política de que trata esta lei, compete ao poder público:



I - analisar a viabilidade de concessão de isenções de taxas relativas à inscrição para exame de habilitação, ao exame de legislação, à expedição de licença de aprendizagem, ao exame de direção e à expedição da carteira
definitiva;II - elaborar estudos sobre a possibilidade de concessão de incentivos fiscais para que os Centros de Formação de Condutores - CFCs - ofertem,gratuitamente, às pessoas a que se refere o art. 2º desta lei os cursos teóricos e práticos necessários para a habilitação de condutores.
Art. 4º - A concessão dos benefícios de que trata esta lei não exime o beneficiário da realização dos exames necessários para a habilitação na categoria pretendida, observadas as disposições da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro - CTB.



Art. 5º - Os benefícios previstos nesta lei destinam-se a pessoas que comprovem domicílio no Estado.



Art. 6º - O disposto nesta lei não se aplica às pessoas que tenham cometido crimes na condução de veículo automotor, previstos no CTB, com sentença penal condenatória transitada em julgado.



Art. 7º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.



Sala das Reuniões, 20 de outubro de 2011.
Délio MalheirosJustificação: Sabe-se que a falta de qualificação de inúmeros cidadãos tem impossibilitado a inserção deles no mercado de trabalho e que a Carteira Nacional de Habilitação - CNH - tem sido um valioso instrumento de qualificação profissional, além de ser uma forma de realização pessoal esocial.
Entretanto, os altos custos e taxas para obtenção de uma CNH tem inviabilizado, em muitos casos, a devida habilitação, em especial para aqueles cujo poder aquisitivo é menor ou que as vicissitudes da vida colocam


em desvantagem social.



Assim, muito importante é a proposição ora apresentada, vez que permite que pessoas de baixo poder aquisitivo, jovens de escola pública e cidadãos provenientes do sistema prisional, possam obter a isenção das taxas cobradas pelo Detran relativas aos testes e confecção da habilitação, o que em muito auxiliará na redução dos elevados custos que envolvem o processo de habilitação. O mesmo raciocínio se aplica à eventual gratuidade dos cursos teóricos e práticos ministrados pelos Centros de Formação de Condutores.



Vale ressaltar que a concessão de isenção das taxas devidas ao Detran no processo de habilitação não sobrecarregaria o orçamento do Estado, ao passo que a melhor qualificação do cidadão poderia facilitar a sua inserção no mercado de trabalho, o que, indiretamente, beneficiaria o poder público.



Outrossim, a implementação das diretrizes ora apresentadas reduziria o número de acidentes de trânsito, uma vez que qualificaria e habilitaria condutores que hoje, sabemos, em razão dos altos custos que envolvem o processo de habilitação, conduzem veículos automotores sem a habilitação necessária, em especial nas cidades do interior de Minas.



Vale mencionar, por fim, que programa semelhante já existe em outros Estados da Federação. Cita-se como exemplo a Lei nº 13.369, de 2007, do Estado de Pernambuco, não se olvidando dos benefícios que vem
proporcionando à população do referido Estado.

Pelos motivos expostos, fica evidente a importância da implementação dessas diretrizes, o que será, sem dúvida, um grande avanço social.



- Publicado, vai o projeto às Comissões de Justiça e de Fiscalização Financeira para parecer, nos termos do art. 188, c/c o art. 102, do Regimento Interno.


Faceboook;Curta:https://www.facebook.com/pages/Instrutora-de-Tr%C3%A2nsito-Muriel-Dutra/266415033399829
Twitter;Sigam-me os boons:http://twitter.com/#!/murieldutra

Apoiando o trabalho da minha amiga Roberta Torres Lima

Olha o Blog da Roberta:http://www.robertatorreslima.com/2012/03/blog-post.html

Visitem minha pagina no Facebook:https://www.facebook.com/pages/Instrutora-de-Tr%C3%A2nsito-Muriel-Dutra/266415033399829
Twitter:http://twitter.com/#!/murieldutra

terça-feira, 24 de abril de 2012

NOVOS SALÁRIOS 2012


Ofício 040/ 2012

Informação (presta)

Belo Horizonte, 20 de abril de 2.012.




Venho, por meio deste, informar que os valores de salários mensais para o período 01.04.2012 a 31.03.2013 já esta acertado com o sindicato profissional.

Segue os novos valores:

Diretor de Ensino: R$ 1.020,00

Diretor Geral: R$ 860,00https://www.facebook.com/pages/Instrutora-de-Tr%C3%A2nsito-Muriel-Dutra/266415033399829


Demais Empregados: R$ 622,00

Auxiliar Administrativo: R$ 650,00

Instrutor de Trânsito:

- Salário Fixo: R$ 1.150,00

- Comissionista Misto: R$ 860,00 + R$1,55 p/ aula + R$25,00 por exame aprovado.


A nova CCT ainda não foi homologada, tendo em vista que sua redação passará por um estudo a ser realizado entre os departamentos jurídicos do SIPROCFC-MG e SEAME.




Att,
Atenção:CINQUENTINHA SEM HABILITAÇÃO: NÃO

O tal do ciclomotores 50cc é exigido a habilitação ACC...
A Cinquentinha é um ciclo motor, ou seja veículos abaxo de 50 cilindradas. Não exige que seja licenciada, mais tem que ser cadastrada. Agora para conduzir a Cinquentinha tem que ter habilitação, ACC- Autorização para Conduzir Ciclo Motor, foi o que explicou o chefe da 5ª Ciretran de Itabuna, Gilson Nascimento. Ele disse que muita gente tem comprado a Cinquentinha, achando que pode rodar tranquilamente, mais não pode. A Polícia vai começar a fazer blitzes e apreender as motos, por isso a 5ª Ciretran está fazendo este trabalho de concientização. Para tirar a ACC, o condutor tem que comprar o laudo e ir para a auto escola, explicou o chefe da Ciretran.
https://www.facebook.com/pages/Instrutora-de-Tr%C3%A2nsito-Muriel-Dutra/266415033399829